Já São 10 Anos de História

10 anos de fundação, 10, 10, dez anos! Naquela fatídica madrugada, quando eu precisava dormir para jogar no dia seguinte, mantive-me firme em busca de um ideal: retomar o esporte para cegos no Brasil. Não era refazer, pois o esporte já existia; era reorganizar, devolver a autonomia de nossos atletas, equipes, técnicos. Era recolocar as pessoas cegas e o movimento paradesportivo como protagonista, fora das quadras também, e novamente.

Não esperem que eu vá falar aqui do que havia passado, não falarei. Falo somente do momento e do futuro, agora passado, que se apresentava.

O futuro era nebuloso. Não para o esporte, eu acho, mas para a política do esporte para cegos, para o autoempoderamento (palavra em moda hoje). Não sabíamos o que ia acontecer conosco enquanto organização e tínhamos muita coisa a perder, sei lá.

Enquanto alguns se escondiam, eu aceitei o convite. Por que aqueles se escondiam, a história sabe; eu surgia porque desafio é meu primeiro sobre nome (trabalho é o segundo). E, já na madrugada do dia 07 de novembro (após mais de 14 horas de trabalho com alguma interrupção), no auditório da ANDEF, 5 horas antes de meu jogo, eu era escolhido para dirigir a recém-criada CBDDEV, mais tarde, acertadamente, CBDV.

Foram 2 anos de trabalho duro, dúvidas, incertezas, idas e vindas... Mas em março de 2011, a CBDV foi reconhecida como filiada pelo CPB, como legítima representante do esporte para cegos no Brasil, meses antes a IBSA havia dado o mesmo reconhecimento.

Mas foi então quando o trabalho começou de vez. Documentos, contatos, estruturas. Tudo era inexistente até então. A CBDV surge de algo como meia dúzia de pastas e alguns pendrives, nada mais.

Ainda bem que existe algo muito maior que a CBDV, que o conjunto de números que forma o CNPJ e de letras que forma o nome e a sigla desta organização; existe um movimento pulsante, forte e apaixonado. Foi este movimento que fez e refez nossa organização. É este movimento o responsável pelo crescimento, desenvolvimento, conquistas e tudo mais, inclusive as coisas ruins também, afinal, nem ele é infalível também.

E com o apoio de todos que formam este movimento, técnicos, atletas, associações, árbitros, todos, conseguimos reconstruir, conquistar títulos importantes, oferecer serviços, e devolver o protagonismo esportivo, político e administrativo para nosso esporte.

Esportivo pois conquistamos títulos importantes, como medalha de prata de goalball nos jogos paraolímpicos de Londres, repetida depois com a cor bronzeada no Rio, o primeiro título mundial de goalball masculino, algo até então jamais imaginado, a continuação da hegemonia do futebol de 5, o surgimento de novos campeões no judô, bem como a manutenção de conquista com experientes lutadores.

Politicamente, sendo a confederação de renome junto ao CPB, participando ativamente da formação de políticas para o desporto paraolímpico. Além disso, atuando internacionalmente junto a IBSA, contribuindo nos relatórios esportivos durante o período de afirmação dos esportes para os jogos de Toquio e atuando como formador na América Latina e em parte da África.

Já no campo administrativo, recuperamos as capacidades financeiras do movimento, oferecendo serviços importantes às filiadas e proporcionando eventos de boa qualidade. Nesta área, o sinal de maior sucesso foi ter sido reconhecida pelo TCU como a única confederação esportiva cujos recursos estavam sendo utilizados dentro de padrões altíssimos de gestão e auditoria, algo que deveria ser regra, mas, nos dias de hoje...

Tudo isso só reforçou a confiança e o amadurecimento para que este jovem CNPJ pudesse voar só e seguro. Pois é exatamente como acontece hoje, já que a CBDV é como um filho para mim; sabe aquele filho que você cria e prepara para o mundo, depois você mal pode vê-lo? É isso o que sinto hoje.

No entanto, ainda bem que tem o movimento. O mesmo movimento que reconstruiu, também me escolheu para estar na oposição, e faço a mesma com respeito a esta instituição que doei tanto tempo e suor, e por quem tenho um carinho imenso.

A CBDV, a nosso movimento, parabéns pelos 10 anos. Que venham muitos outros 10 anos, e que possamos comemorá-lo olhando para trás, valorizando sua história e suas personagens; mas com a bússola apontada para o futuro.

Aos colaboradores que já estiveram por lá, meus agradecimentos. Aos técnicos das seleções, meu respeito. A todos os atletas e demais técnicos, aproveitem, mas saibam, este movimento e por conseguinte, a CBDV, todos eles são de vocês; junto com os presidentes das associações, todos vocês têm o dever de zelar pelo trabalho e pelas ações de nossos esportes.

Parabéns a todos nós! 10 anos se passaram, outros muitos 10 anos virão, cada vez mais forte e saudável, assim espero.