O QUE É ISSO, MAIS UMA GUERRA?

Meus amigos, como vão?

 

Primeiramente, pedir outra vez mais, desculpas pelo longo tempo sumido. Sei que tenho aí um total de 0 pessoas que me acompanham e gostam de ler minhas besteiras e, mesmo assim, eu de vez em quando, sumo. Mas faz parte de ciclos desta vida maluca que vivemos, onde prioridades mudam e mesmo que gostemos de determinadas coisas, como eu que gosto de escrever, o tempo não nos permite e algumas atividades prazerosas perdem espaço e tempo para enfadonhas outras.

Mas os tempos modernos, aliás, moderníssimos, além de pedirem para que eu volte aqui, obrigam, gritam por nosso retorno, mesmo que somente eu ouça os tais gritos.

E agora, o motivo que nos traz aqui é, tão somente, o tal corona vírus ou COVID19 e sua pandemia.

Nunca vi isso na vida. Tal desespero, preocupação e perplexidade com tudo que está acontecendo.

Olho para o que acontece na Europa, especialmente Itália e Espanha, a galopante letalidade nos Estados Unidos e volto meus pensamentos ao Brasil que, apesar de ter um sistema de saúde pública “universal”, possui pouco recurso para estruturá-lo e para responder a uma demanda em ondas altas, como uma tsunami de casos.

A partir de hoje eu deveria iniciar um trabalho em home office, que aliás, quero escrever mais sobre isso mais adiante; mas acabei indo ao trabalho por não ter tido a informação em tempo. Na verdade, mesmo que eu tivesse sabido em tempo, teria ido hoje, já que estou com trabalho atrasado e não tinha minha máquina em casa preparada para o serviço em home office, tanto que irei segunda próxima, pois preciso configurar meu laptop para acessar a máquina do trabalho.

Mas é preocupante como todos tomam decisões; umas lentas demais, outras tão rápido que claro é a falta de insumos básicos para tal.

Nesta linha, por exemplo, falo da lenta decisão tomada pela CBDV sobre o GP de judô. Primeiro disseram que os europeus não viriam mais; depois, que seria somente nacional. Por fim, e somente depois que o CPB fechou o CT, é que o cancelamento do GP e de todo o calendário do primeiro semestre foi tomado. Entendo que o recurso é público e que muitos eram os serviços contratados, mas com vida não se brinca e, claro, com economia também, afinal, muitas associações compram passagens e agora precisaram de uma longa negociação para recuperarem os recursos, muitos deles, públicos também e que precisaram ser devolvidos. Torcemos que a CBDV apoie suas filiadas nesta hora difícil junto às empresas e aos governos financiadores.

Por fim, digo-lhes que neste período de quarentena, deve me sobrar  tempo para escrever e creio ser possível vir aqui mais vezes durante estes tempos, que seguindo o caminho italiano e compreendendo que estamos no início de tudo, ou seja, bem atrás da “linha do tempo” que eles estão, nós ainda vamos sofrer demais com tudo que nosso povo deve passar.

 

Por agora, saúde e paz a todos!